Google

quarta-feira, Outubro 31, 2007

Mudanca de cozinha


Proximo dia 8 de Novembro esta cozinha faria 1 aninho,digo faria,porque mudei de cozinha rsss...ja mudei todo mobiliario,todas as receitinhas...agora so falta trabalhar um pouco na decoracao,mas com o tempo vai ficar ordenado.


Por isso minhas amigas/os cozinheiras/os,espero continuar a contar com a vossa presenca na minha nova cozinha




um beijinho grande para todos e vamos continuar nos bons cozinhados...

terça-feira, Outubro 30, 2007

Muffins de abobora


E apos tantas lanternas feitas para o Halloween,eis que fiquei com imensa abobora.congelei para sopas ensopados etc...mas tambem aproveitei para uma coisinha doce,ca em casa nao somos adeptos de compotas,por isso doce de abobora estava fora de questao,vai dai sairam uns deliciosos muffins.





cozer cerca de 400 grs de abobora com 1/2 colher de sopa de canela em po e raspas de 1 limao,deixar cozer ate ficar macia e colocar para escorrer.amassar bem a abobora e juntar 2 cups de acucar e mexer bem,adicionar 2 ovos e bater bem ate ficar um creme homogeneo,juntar 1 colher de sopa de canela,1 calice de vinho do porto,nozes q.b. e envolver bem na massa,por fim adicionar 1 cup de farinha,1 cup de amido de milho e 1 colher de sobremesa de fermento em po,envolver bem sem bater.entretanto alinhe forminhas de papel nas formas de muffins e encha as forminhas com a massa,leve a cozer a forno quente cerca de 25 minutos.por fim num tacho ponha 5 colheres de sopa de acucar,2 de chocolate em po e 2 de leite e leve ao lume para derreter e se formar uma leve calda,com a ajuda de uma colher regue os muffins e coloque metade de uma noz no topo.

HAPPY HALLOWEEN

segunda-feira, Outubro 29, 2007

Historia do Halloween


TUDO A POSTOS PARA O HALLOWEEN??? POR CA TUDO PREPARADO :)












HISTORIA DO HALLOWEEN

A palavra Halloween tem origem na Igreja católica. Vem de uma corrupção contraída do dia 1 de novembro, "Todo o Dia de Buracos" (ou "Todo o Dia de Santos"), é um dia católico de observância em honra de santos. Mas, no século V DC, na Irlanda Céltica, o verão oficialmente se concluía em 31 de outubro. O feriado era Samhain, o Ano novo céltico.
Alguns bruxos acreditam que a origem do nome vem da palavra hallowinas - nome dado às guardiãs femininas do saber oculto das terras do norte (Escandinávia).

O Halloween marca o fim oficial do verão e o início do ano-novo. Celebra também o final da terceira e última colheita do ano, o início do armazenamento de provisões para o inverno, o início do período de retorno dos rebanhos do pasto e a renovação de suas leis. Era uma festa com vários nomes: Samhain (fim de verão), Samhein, La Samon, ou ainda, Festa do Sol. Mas o que ficou mesmo foi o escocês Hallowe'en.

Uma das lendas de origem celta fala que os espíritos de todos que morreram ao longo daquele ano voltariam à procura de corpos vivos para possuir e usar pelo próximo ano. Os celtas acreditavam ser a única chance de vida após a morte. Os celtas acreditaram em todas as leis de espaço e tempo, o que permitia que o mundo dos espíritos se misturassem com o dos vivos.

Como os vivos não queriam ser possuídos, na noite do dia 31 de outubro, apagavam as tochas e fogueiras de suas casa, para que elas se tornassem frias e desagradáveis, colocavam fantasias e ruidosamente desfilavam em torno do bairro, sendo tão destrutivos quanto possível, a fim de assustar os que procuravam corpos para possuir, (Panati).

Os Romanos adotaram as práticas célticas, mas no primeiro século depois de Cristo, eles as abandonaram.

O Halloween foi levado para os Estados Unidos em 1840, por imigrantes irlandeses que fugiam da fome pela qual seu país passava e passa ser conhecido como o Dia das Bruxas.


Travessuras ou Gostosuras?(Trick-or-treat)


A brincadeira de "doces ou travessuras" é originária de um costume europeu do século IX, chamado de "souling" (almejar). No dia 2 de novembro, Dia de Todas as Almas, os cristãos iam de vila em vila pedindo "soul cakes" (bolos de alma), que eram feitos de pequenos quadrados de pão com groselha.

Para cada bolo que ganhasse, a pessoa deveria fazer uma oração por um parente morto do doador. Acreditava-se que as almas permaneciam no limbo por um certo tempo após sua morte e que as orações ajudavam-na a ir para o céu.



Abóboras e velas: Jack O'Lantern (Jack da Lanterna)

A vela na abóbora provavelmente tem sua origem no folclore irlandês. Um homem chamado Jack, um alcoólatra grosseiro, em um 31 de outubro bebeu excessivamente e o diabo veio levar sua alma. Desesperado, Jack implora por mais um copo de bebida e o diabo concede. Jack estava sem dinheiro para o último trago e pede ao Diabo que se transforme em uma moeda. O Diabo concorda. Mal vê a moeda sobre a mesa, Jack guarda-a na carteira, que tem um fecho em forma de cruz. Desesperado, o Diabo implora para sair e Jack propõe um trato: libertá-lo em troca de ficar na Terra por mais um ano inteiro. Sem opção, o Diabo concorda. Feliz com a oportunidade, Jack resolve mudar seu modo de agir e começa a tratar bem a esposa e os filhos, vai à igreja e faz até caridade. Mas a mudança não dura muito tempo, não.

No próximo ano, na noite de 31 de outubro, Jack está indo para casa quando o Diabo aparece. Jack, esperto como sempre, convence o diabo a pegar uma maçã de uma árvore. O diabo aceita e quando sobe no primeiro galho, Jack pega um canivete em seu bolso e desenha uma cruz no tronco. O diabo promete partir por mais dez anos. Sem aceitar a proposta, Jack ordena que o diabo nunca mais o aborreça. O diabo aceita e Jack o liberta da árvore.
Para seu azar, um ano mais tarde, Jack morre. Tenta entrar no céu, mas sua entrada é negada. Sem alternativa, vai para o inferno. O diabo, ainda desconfiado e se sentindo humilhado, também não permite sua entrada. Mas, com pena da alma perdida, o diabo joga uma brasa para que Jack possa iluminar seu caminho pelo limbo. Jack põe a brasa dentro de um nabo para que dure mais tempo e sai perambulando. Os nabos na Irlanda eram usados como seu "lanternas do Jack" originalmente. Mas quando os imigrantes vieram para a América, eles acharam que as abóboras eram muito mais abundantes que nabos. Então Jack O'Lantern (Jack da Lanterna). na América passa a ser uma abóbora, iluminada com uma brasa.

Sua alma penada passa a ser conhecida como Jack O'Lantern (Jack da Lanterna). Quem presta atenção vê uma luzinha fraca na noite de 31 de outubro. É Jack, procurando um lugar.
enganara Satã ao subir uma árvore. Jack então esculpiu uma imagem de uma cruz no tronco da árvore, prendendo o diabo para cima a árvore. Jack fez um acordo com o diabo, se ele nunca mais o tentasse novamente, ele o deixaria árvore abaixo.
De acordo com o conto de povo, depois de Jack morrer, ele a entrada dele foi negada no Céu, por causa de seus modos de malvado, mas ele teve acesso também negado ao Inferno, porque ele enganou o diabo. Ao invés, o diabo deu a ele uma brasa única para iluminar sua passagem para a escuridão frígida. A brasa era colocada dentro de um nabo para manter por mais tempo.
Os nabos na Irlanda eram usados como seu "lanternas do Jack" originalmente. Mas quando os imigrantes vieram para a América, eles acharam que as abóboras eram muito mais abundantes que nabos. Então o Jack O'Lantern (Jack da Lanterna), na América, era em uma abóbora, iluminada com uma brasa.


Bruxas


As bruxas têm papel importantíssimo no Halloween. Não é à toa que ela é conhecida como "Dia das Bruxas" em português. Segundo várias lendas, as bruxas se reuniam duas vezes por ano, durante a mudança das estações: no dia 30 de abril e no dia 31 de outubro. Chegando em vassouras voadoras, as bruxas participavam de uma festa chefiada pelo próprio Diabo. Elas jogavam maldições e feitiços em qualquer pessoa, transformavam-se em várias coisas e causavam todo tipo de transtorno.

Diz-se também que para encontrar uma bruxa era preciso colocar suas roupas do avesso e andar de costas durante a noite de Halloween. Então, à meia-noite, você veria uma bruxa!

A crença em bruxas chegou aos Estados Unidos com os primeiros colonizadores. Lá, elas se espalharam e misturaram-se com as histórias de bruxas contadas pelos índios norte-americanos e, mais tarde, com as crenças na magia negra trazidas pelos escravos africanos.

O gato preto é constantemente associado às bruxas. Lendas dizem que bruxas podem transformar-se em gatos. Algumas pessoas acreditavam que os gatos eram os espíritos dos mortos. Muitas superstições estão associadas aos gatos pretos. Uma das mais conhecidas é a de que se um gato preto cruzar seu caminho, você deve voltar pelo caminho de onde veio, pois se não o fizer, é azar na certa.

Halloween pelo mundo


A festa de Halloween, na verdade, equivale ao Dia de Todos os Santos e o Dia de Finados, como foi absorvido pela Igreja Católica para apagar os vínculos pagãos, origem da festa. Os países de origem hispânica comemoram o Dia dos Mortos e não o Halloween. No Oriente, a tradição é ligada às crenças populares de cada país.

Espanha
Como no Brasil, comemora-se o Dia de Todos os Santos em 1º de novembro e Finados no dia seguinte. As pessoas usam as datas para relembrar os mortos, decorando túmulos e lápides de pessoas que já faleceram.

Irlanda
A Irlanda é considerada como o país de origem do Halloween. Nas áreas rurais, as pessoas acedem fogueiras, como os celtas faziam nas origens da festa e as crianças passeiam pelas ruas dizendo o famoso “tricks or treats” (doces ou travessuras).

México
No dia 1º comemora-se o Dia dos Anjinhos, ou Dia dos Santos Inocentes, quando as crianças mortas antes do batismo são relembradas.
O Dia dos Mortos (El Dia de los Muertos), 2 de novembro, é bastante comemorado no México. As pessoas oferecem aos mortos aquilo que eles mais gostavam: pratos, bebidas, flores. Na véspera de Finados, família e amigos enfeitam os túmulos dos cemitérios e as pessoas comem, bebem e conversam, esperando a chegada dos mortos na madrugada.
Uma tradição bem popular são as caveiras doces, feitas com chocolate, marzipã e açúcar.

Tailândia
Nesse país, existe o festival Phi Ta Khon, comemorado com música e desfiles de máscaras acompanhados pela imagem de Buda. Segundo a lenda, fantasmas e espíritos andam entre os homens. A festividade acontece no primeiro dia das festas budistas.



Alguns significados simbólicos

a abóbora: simboliza a fertilidade e a sabedoria

a vela: indica os caminhos para os espíritos do outro plano astral.

o caldeirão: fazia parte da cultura - como mandaria a tradição. Dentro dele, os convidados devem atirar moedas e mensagens escritas com pedidos dirigidos aos espíritos.

a vassoura: simboliza o poder feminino que pode efetuar a limpeza da eletricidade negativa. Equivocadamente, pensa-se que ela servia para transporte das bruxas.

as moedas: devem ser recolhidas no final da festa para serem doadas aos necessitados.

os bilhetes com os pedidos, devem ser incinerados para que os pedidos sejam mais rapidamente atendidos, pois se elevarão através da fumaça.

a aranha - simboliza o destino e o fio que tecem suas teias, o meio, o suporte para seguir em frente.

o morcego - simbolizam a clarividência, pois que vêem além das formas e das aparências, sem necessidades da visão ocular. Captam os campos magnéticos pela força da própria energia e sensibilidade.

o sapo - está ligado à simbologia do poder da sabedoria feminina, símbolo lunar e atributo dos mortos e de magia feminina.

gato preto - símbolo da capacidade de meditação e recolhimento espiritual, autoconfiança, independência e liberdade. Plena harmonia com o Unirverso

Cores:

Laranja - cor da vitalidade e da energia que gera força. Os druidas acreditavam que nesta noite, passagem para o Ano Novo, espíritos de outros planos se aproximavam dos vivos para vampirizar a energia vital encontrada na cor laranja.

Preto - cor sacerdotal das vestes de muitos magos, bruxas, feiticeiras e sacerdotes em geral. Cor do mestre.

Roxo - cor da magia ritualística.

FONTE AQUI

domingo, Outubro 28, 2007

Cantarilhos em papelotes





ing.

1 cantarilho por papelote e por pessoa
alhos q.b.
salsa q.b.
vinho do porto q.b.
sal e pimenta q.b.
azeite q.b.
bacon fumado q.b.

-arranjam-se os cantarilhos e dispoem-se 1 cantarilho numa folha de papel de alumionio,entretanto a parte colocam-se alhos,salsa,sal,pimenta,vinho do porto e azeite e passa-se tudo com a varinha magica,barra-se o peixe por dentro e por fora,corta-se bacon fumado em fatias finas e coloca-se no interior do peixe,fecha-se o papelote e leva-se ao forno quente 35 minutos.

Empadao de atum



Levar batatas a cozer com agua e sal para fazer pure e juntamente cozer ovos q.b.Entretanto coloca-se cebola e alho picado num tacho com azeite e leva-se a cebola a dourar sem escurecer,junta-se atum enlatado escorrido,e envolve-se bem com a cebola,tempera-se de sal e pimenta e adiciona-se um pouco de polpa de tomate,deixa-se ferver e poe-se salsa picada e reserva-se o recheio.Estando as batatas cozidas reduzem-se a pure e tempera-se o pure com pimenta,nos moscada,manteiga,leite e sumo de limao.Num tabuleiro coloca-se um parte de pure,o recheio bem espalhado por cima e os ovos as rodelas por cima do recheio de atum,cobre-se tudo cm pure novamente,pincela-se com gema de ovo batida e leva-se ao forno a gratinar.

Iscas com elas



Eis um prato bem tipico das tasquinhas e tabernas Portuguesas,por norma servido com elas (as batatas),mas tambem costumo fazer com batata frita e fica uma delicia.Podem usar figado de porco,boi vitela....aquele que mais gostarem...



Temperar o figado com bastante alho laminado,sal,pimenta vinho branco e um pouco de vinagre e deixar marinar de um dia para o outro.No dia seguinte leve a fritar em azeite quente mais lentamente para o figado nao secar e guarda-se a marinada,retira-se e reserva-se.Na mesma gordura,colocam-se cebolas partidas em meias luas fininhas e deixa-se a cebola amaciar,colocam-se tiras de pimentos,tempera-se de sal,pimenta e cominhos,refresca-se com a marinada e mais um pouco de vinagre e envolve-se bem deixando ferver cerca de 5 minutos mais,serve-se bem quente.

sábado, Outubro 20, 2007

Pasteis de feijao





Nocolher de tacho,temos como rei da quinzena o Feijao.Fiquei um pouco na duvida sobre com que receita participar,mas finalmente me decidi por uns deliciosos pasteis de feijao.







200 grs feijao branco cozido
70 grs amendoa picada
3 ovos
4 gemas
230 grs de acucar
2 colheres de sopa de vinho do porto
farinha q.b.
canela em po q.b.

poem usar feijao ja cozido,eu prefiro coloca-lo de molho,cerca de 12 horas e leva-lo a cozer com uma colher de sopa de canela em po e casca de 1 limao.apos o feijao cozido reduzimo-lo a pure,junta-se as gemas e bate-se muito bem ate ter um creme homogeneo,juntam-se os ovos,a amendoa (que nao pico na totalidade deixo algumas lascas grandinhas)e o vinho do porto e bate-se tudo muito bem.coloca-se o acucar num tacho com 5 colheres de sopa de agua e leva-se a ferver durante 5 minutos,retira-se do lume e envolve-se no preparado anterior e reserva-se.
comeca-se a tratar de forrar as forminhas com massa tenra,que podem fazer ou comprar feita como foi o meu caso,estende-se a massa e forram-se as forminhas,enchem-se com o recheio,polvilham-se com canela e po e um pouco de farinha e leva-se a forno quente 30 minutos.